Essa informação entra

by

Por Diândria Daia

     Consulta, pesquisa, telefona, apura. Corre em busca de alguém envolvido para falar do assunto. Contrapartida, dar voz a ambos os lados. Mas que lados? Um repórter precisa conhecer sobre o assunto que está abordando. Falar qualquer coisa ou dar informação incompleta é induzir ao erro. Ou pior ainda é encher lingüiça. Se não sou honesta com o leitor, me igualo a bandidos, mentirosos, assaltantes, corruptos, e não sou honesta comigo mesma.
     Uma boa apuração leva a dar voz ao texto. Sim, o texto fala! Parece óbvio pensar em texto como uma voz, mas letras que formam frases só têm a voz que o autor quer dar. Voz de alerta, de alarme, de denúncia, de exaltação, voz de alegria, de lamentação e vozes ocultas de opinião. Difícil escrever algo sem colocar naquilo uma opinião. Seja na construção do texto, na escolha das palavras, na forma de abordar o assunto.
     Por isso a necessidade de conhecer algo de perto, apurar, analisar, perguntar para só então fechar a matéria. O jornalismo mais simples e despretensioso tem em si um quê de investigação e muito de interpretação. Interpretamos o que vemos, e na hora de contar já não é só o que se passou, mas a nossa forma de ver o que se passou. Tenho aprendido que a nossa formação pessoal conta também na hora de escrever. É importantíssimo ler de tudo, e rever conceitos e viver a vida. As experiências pessoais podem ajudar a compor um texto. Não apenas no fato de contá-las, mas ao considerar novas formas de perceber o que está a nossa volta a partir de algo que vivemos.
     Não, ainda não sou uma jornalista. Mas espero ser um dia. Sei que preciso passar por várias etapas e aprender a conviver com a busca sufocante do valor notícia, mas algo me consola. Aprendi que um texto não precisa ser sisudo e nem ter “cara de jornalzão”. Preciso, sim, apurar e conhecer, consultar e pesquisar, mas as crônicas, resenhas e demais textos livres do título de “matéria jornalística” me dão a liberdade de colocar minha opinião declarada, e não subliminar. Posso assumir minha humana ignorância e até viajar por outros campos do conhecimento.
     Tenho ainda muito chão pela frente. Vou pesquisar, conhecer, estudar, trabalhar. E no final será que isso entra, ou a pauta cai?

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: