Nossa Guerra Civil

by

 Por Luciano Franklin

          Grande parte do sucesso de Tropa de Elite se deve ao apelo do combate da violência com violência. Parece que os brasileiros estão anestesiados com tamanha barbárie e acreditam que a única forma de acabar com a selvageria do sistema é a polícia fazer justiça com ferocidade.
         O filme é um tapa na cara, que desde o início mostra uma narrativa interessante contada ao avesso de uma guerra sem vencedores. A trama se passa em algumas das 700 favelas existentes no Rio de Janeiro, como o Morro da Babilônia e do Turano, dominadas obviamente por traficantes e como o narrador diz “armados até aos dentes”. Tropa de Elite mostra à sociedade, a polícia e o crime na visão do Capitão Nascimento, personagem vivido por Wagner Moura, um policial do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro (BOPE). Este vive angústias pessoais por estar preste a ser pai e ter ataques freqüentes de estresse com a batalha dura da corrupção da polícia militar do Rio de Janeiro. Cansado de seu serviço árduo, Capitão Nascimento busca um substituto; paralelamente, dois amigos de infância, Matias e Neto, que são policiais militares se indignam com a putrefação do sistema de defesa do Rio de Janeiro e resolvem entrar no curso preparatório para o BOPE, cruzando então com a vida do Capitão Nascimento.
        A obra é de intensa ação e motiva qualquer um a entender as tramelas da situação do país no ano 97, que parece não ter mudado após 10 anos, pois a violência vem piorando em nosso país. A crítica à classe média é um dos pontos positivos do filme. “Playboyzinhos de merda”, na linguagem crua e verdadeira do capitão Nascimento deveriam criar vergonha e perceber que quem alimenta o tráfico é bandido também.
       Dos mesmos produtores de Estamira e do diretor ônibus 174, Tropa de Elite é uma obra que encanta os brasileiros devido à tamanha realidade apresentada nas telonas, que além de proporcionar reflexões sobre o assunto, também faz com que as pessoas abram os olhos para o caos que o Brasil se tornou.

About these ads

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: